27 dezembro 2010

O fim de uma era na televisão brasileira



Certa vez escrevi sobre como a rotina programa a vida da gente de tal modo que nos sentimos como personagens de um filme ``atuando`` de acordo com um roteiro sempre igual. Acredito que o mesmo possa se dizer a respeito da nossa relação com a televisão, em especifico os programas de auditório que, por sua vez, tem como figura central o apresentador. Alguns deles estão há tanto tempo na televisão que a gente acaba se acostumando a eles como se fossem pessoas da nossa família. E isso não é uma afirmação minha somente. Lembro de há muitos anos atrás ter lido sobre isso na coluna da Xênia Bier.

Você se acostuma com bordões ou frases marcantes do tipo ``Quem quer dinheiroooooo``, ``Ô louco meu``, ``Loucura, loucura``, ``Domingooooooooooo legal`` ou então o jeito carinhoso de Hebe Camargo de dizer ``Gracinha``.  E é com uma certa sensação de estranheza que falo sobre ela neste post. Nunca fui um telespectador tão assíduo dela, mas confesso já assisti algumas vezes ao programa dela e gostei. E talvez por causa disso é que me sinta um pouco estranho por ter assistido agora a pouco o programa de despedida dela do SBT.

É fato que seu nome sempre será lembrado seja pela sua trajetória na emissora de Silvio Santos ou pelo marco histórico que ela representa por ter participado dos primeiros anos da televisão brasileira. Seu carisma, senso de humor único, criatividade e talento como comunicadora são algumas das várias qualidades que ela tem e que com certeza servem de lição para muitos colegas de profissão.

Particularmente, considero uma pena sua saída do SBT tendo em vista que uma parcela muito grande do seu público construiu sua identificação com ela através dos programas exibidos por lá. Afinal, não haveria lugar melhor no mundo para o encerramento da sua carreira. É claro que vendo pelo outro lado da moeda têm-se o fato de que as constantes trocas na grade de programação da emissora atrapalham e muito a oportunidade de se fazer um bom trabalho. É preciso tempo e paciência para que certas idéias dêem certo e que o público se acostume com elas. Também é igualmente fundamental saber ouvir o público sobre o que é legal, apropriado e interessante em determinada atração. Infelizmente, o que acontece é justamente o contrário. Uma guerra pela audiência que mais se parece um jogo estratégico em que não há escrúpulos a respeito e quais são as melhores cartas a serem usadas e nem quando usá-las.

Sem sombra de dúvida a vida televisiva desse nome tão importante dos meios de comunicação continuará brilhando aonde quer que vá mesmo que não seja da forma merecida. Afinal, sua história já está marcada em lugar cativo no imaginário televisivo.

11 comentários:

  1. Hebe é Hebe onde quer que for.

    Estarei com ela sempre.

    Seu blog é uma gracinha.

    Teteia, retribua o meu comentário, por favor.

    http://oiadolescentes.blogspot.com/

    Beijos, lindo de viver. rsrs

    ResponderExcluir
  2. Reconheço o peso do nome Hebe Camargo, assim como sua capacidade artística, mas particularmente não gosto dela e não assisto seu programa.
    Complicada uma troca de emissora depois de tantos anos. pode ser um tiro no escuro... Ou não!

    ResponderExcluir
  3. Olha,você tem toda razão.
    No mais,amei o blog!

    ResponderExcluir
  4. Alguns dinossauros da TV brasileira certamente não terão substitutos....
    Mas tudo faz parte de um ciclo, não só pela audiência um programa precisa ser trocado. Às vezes ele se desgasta, como o casseta e planeta e precisa acabar.
    Não acabou como a Hebe, só tem essa diferença.....

    ResponderExcluir
  5. Adorei o texto, parabéns pelo blog. É bom ver que você realça esses tipos de assuntos interessantes também, como a televisão que é um importantíssimo meio de comunicação! Beijos

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito dessa idéia de comentar sobre essa pessoa, que em particular admiro muito. Pena é ela ter feito isso bem na hora que o idealizador do SBT está passando por momentos críticos, sendo ela um dos carros chefes na grade desse veículo, jamais poderia ter feito isso; ainda mais pelo fato de ganância. É nessa hora que observamos quem são os verdadeiros amigos. Sendo ela tão verdadeira (era assim que a via) jamais poderia virar as costas para quem a classificou como Móveis e Utensílios (patrimônio Tombado) e tinha liberdade para agir e fazer o que bem lhe interessasse. Mesmo porque os paulistas a tinham como símbolo de São Paulo como é o SBT a (Cara de SP)

    ResponderExcluir
  7. Gosto muito da Hebe.Admiro o trabalho dela como apresentadora.
    É aquela frase:No aperto e no perigo,que se conhece o amigo...
    Um beijo anjo lindo.
    Te amo muito.

    ResponderExcluir
  8. Passando por aqui para desejar um Feliz 2011.
    Que o ano nos traga muita paz, alegria, energia positiva e
    realizações. Estenda aos amigos, amigas e familiares.
    Feliz Ano Novo - 2011
    Abraço

    William
    www.tocadowilliam.com

    ResponderExcluir
  9. Assisti no domingo dia 26.12 um programa de outra emissora homenageando a Hebe.
    Foi comovente e tanto ...

    Aproveito para desejar todas as felicidades para você nesse ano que se inicia e sempre...

    Abração do amigo "Calcanhar" aqui.

    ResponderExcluir
  10. minha vó me obrigava a assistir os programas do sbt quando criança..ver a Hebe e o gugu indo pra outro canal é bizarro pra mim...

    velho vc nunca mais comentou meu blog

    da uma passada lá !
    http://universovonserran.blogspot.com
    blog premiado e indicado pelo jornal Destak
    Especial de ano novo - Ao caminhar na tempestade
    Sigo e comento quem seguir e comentar !

    ResponderExcluir

Comente apenas se tiver algo a ver com a postagem. Por isso, comentem de verdade!!!!